Insights

3 dicas para aproveitar os eventos que você perdeu

No mês dos eventos de inovação é difícil não questionar a relevância e os benefícios de se engajar (muitas vezes ao mesmo tempo) em milhares de conversas, palestras, encontros e todo o universo que se cria nesses ambientes. O Murilo Leal observou no seu perfil do LinkedIn que, em muitos casos, cria-se uma batalha de egos nos palcos e discursos, estimulando a publicidade pessoal numa época que cultua a imagem.

Tendo participado de muitos desses eventos nos últimos anos (entre eles Conscious Company Leaders Forum, Social Innovation Summit, Web Summit, Gramado Summit, House of Beautiful Business), eu sei por experiência o apelo que grandes nomes, storytelling bem criados e jogos de luzes bonitos têm para reforçar a percepção de “divindade” e de um aprendizado muitas vezes superestimado.

Esse formato de show começa a ser questionado – por quem está no palco ou fora dele – e já surgem alternativas para essa estrutura. No entanto, não se pode desconsiderar o trabalho e qualidade necessários para curar, organizar e entregar eventos dessa magnitude. Seja você um apoiador ou não, há sempre formas de combinar elementos presentes e absorver conteúdo mesmo sem participar, ativamente, de nenhuma dessas festas.

Aqui vão algumas delas:

NO SITE DO EVENTO: SE LIGAR EM ASSUNTOS ATUAIS

O objetivo dos eventos focados em inovação é trazer conteúdo atual e relevante. É isso que atrai o público e aumenta a receita de ingressos e patrocinadores. E, claro, fideliza uma audiência curiosa e informada. Por isso, a programação dos eventos é aberta. Ou seja, você tem acesso aos assuntos que serão falados (e por quem) antes de decidir comprar o ingresso.

Essa lista, curada e organizada, é quase um índice para quem procura temas para se aprofundar ou especializar. São títulos atraentes e briefings que liberam spoilers na medida certa para que seja possível buscar artigos, vídeos e conteúdos sobre o que será falado.

A nível de exemplo, vamos usar a informação pública do RD Summit:

No primeiro nível, esse evento oferece trilhas, que então se subdividem em palestras dentro do mesmo assunto. Aproveitar um evento, mesmo sem ir, exige tempo: é ideal estudar as trilhas e depois ler as palestras (são muitas!) e então seguir os temas, pessoas e comentários que juntos possibilitam uma visão completa de tudo o que (não) estamos perdendo.

EXTRAPOLANDO PARA AS REDES: CONHECER PESSOAS INCRÍVEIS

Muitas das pessoas que sobem nos palcos são mesmo referência no que fazem e têm muito para dividir. E todo o trabalho que foi feito para que chegassem até ali nem sempre fica explícito em uma fala ou workshop. Pesquisar, dentre todos os palestrantes, aquele cuja história e perspectiva mais te encanta é um trabalho online (e essa é uma dica que serve também para quem resolver comprar os ingressos e acompanhar o evento presencialmente!).

Quando começamos a entender a linha de raciocínio e a trajetória das pessoas que contam suas histórias, muitas vezes lemos, vemos e ouvimos coisas que serão trazidas para aquela palestra ou conversa. Além disso, também descobrimos outros eventos e grupos dos quais fazem parte e que, em outro momento, podem passar pela mesma análise.

Ainda no nosso exemplo, dentro da trilha de conteúdo e de um tema relevante para a gente, chegamos na Samantha Almeida. Escolhemos propositalmente alguém que não conhecíamos para passar pelo processo todo de forma neutra.

A bio dela no próprio site do evento já a conecta com reconhecimentos e marcas que são relevantes e, expandindo a busca para o LinkedIn (nosso preferidinho), ficam claras as causas que ela defende e todos os outros níveis nos quais nos conectamos. No YouTube, fica claro que ela tem outras aparições sobre o mesmo tema – e sua palestra no SXSW ainda esse ano pode servir como proxy para sua fala no RD.

Voltando para o LinkedIn, através da interação da Samantha em outras postagens, é fácil identificar outros eventos nos quais participa e com quem vai dividir o palco.

ATRAVÉS DO PÚBLICO: ACESSAR BRIEFING COMENTADO

Esses eventos são quase estruturados para te dar um resumão grátis do que está acontecendo ou aconteceu: cada vez mais, pessoas adoram (e são estimuladas a) compartilhar o que estão vivendo e aprendendo em cada momento. Para ter acesso, é só buscar os hashtags do evento: em qualquer uma das redes sociais. São inúmeras fotos, textos, vídeos e até partes ao vivo dos melhores momentos. Os próprios palestrantes (que agora você já segue) liberam vários pedacinhos do evento!

Se você escolhe bem quem seguir e fica ligado nos principais perfis e tags usados pelos participantes, é quase um BBB pago que dá pra escolher qual ângulo você quer.

No nosso exemplo, usamos o instagram para (1) buscar os tags (2) assistir os stories e (3) ver o que o pessoal está falando nos posts – milhares, ainda no segundo dia de evento.

A gente ainda acompanha a Ellen, do Branding.Lab, que tá fazendo uma cobertura incrível do evento, envia e-mails diários com os melhores insights e ainda vai liberar um arquivo com os principais aprendizados do evento – curado por ela!

É claro que a experiência física desses ambientes traz outros benefícios. O próprio Murilo Leal fala sobre o networking que é proporcionado exclusivamente lá.

Não é uma questão de comparação: é uma alternativa.

Essa exploração online é uma forma diferente de se relacionar com eventos, que exige outras habilidades e traz vantagens únicas: começando pela autonomia e liberdade de buscar o que a gente quiser – e um caminho para continuar daí.


Gostou do artigo? Divide com a gente qual é a sua opinião sobre esse tema!

Se você quer mais ferramentas para se conhecer e agir, clica nesse link e dá uma olhada no Almanaque de vôo, lá tem todas as informações que você precisa pra saber se ele faz sentido para você!

Para dúvidas, perguntas, colaborações, ou só O.lar, escreve pra gente em hello@vo-lar.com

Maria Julia Bezzi

Co-founder at vo.lar
Vejo o mundo como um conjunto de processos de ponta a ponta a serem otimizados. Acredito na mistura de pessoas e da tecnologia. Minha energia vem do sol as conexões que crio são chave para um crescimento sustentável e exponencial.
Maria Julia Bezzi

Vejo o mundo como um conjunto de processos de ponta a ponta a serem otimizados. Acredito na mistura de pessoas e da tecnologia. Minha energia vem do sol as conexões que crio são chave para um crescimento sustentável e exponencial.

0 comments on “3 dicas para aproveitar os eventos que você perdeu

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *